Uma viagem pela Toscana

09/03/2019

Um itinerário para mochileiros aventureiros numa das regiões mais populares de Itália - Toscana - enquanto fica, é claro, hospedado nalguns dos melhores hostels desta região.

Toscana é uma das regiões mais amadas em Itália e há anos que é um dos principais destinos dos turistas estrangeiros, apreciados especialmente por alemães, franceses, americanos e britânicos e, nos últimos anos, também pelos chineses. Estamos a falar de uma região que combina arte, cultura, história, uma excelente gastronomia e paisagens naturais encantadoras.

"A Toscana é uma paisagem mágica onde tudo é amável, tudo é velho e novo" - Curzio Malaparte

Neste artigo propomos um itinerário circular que passa por colinas encantadoras (o boom de gostos no seu perfil do Instagram irá ser garantido!) e aldeias históricas, onde a vida parece ter permanecido parada. Também damos dicas de 8 hostels onde poderá ficar hospedado na Toscana: uma seleção de propriedades diferentes, todas elas especiais e caracterizadas por uma boa relação qualidade/preço e uma atmosfera social única. Eles são os lugares ideais para ficar ainda mais apaixonado por esta bela região.

ONDE COMEÇAR: AS COLINAS NO SUL DE FLORENÇA

O passeio começa a partir das belas colinas ao sul de Florença, onde pode contar com a calorosa hospitalidade do Spedale del Bigallo. É um edifício antigo que foi o lar de viajantes e peregrinos desde o século XIII, e agora foi convertido num hostel moderno que mantém a sua atmosfera medieval, mas está equipado com todos os confortos modernos. Tem quartos privados e dormitórios charmosos com uma capacidade total para 52 pessoas. O Ostello del Bigallo permite que fique num cenário natural espetacular, rodeado pelo silêncio das colinas e do verde das oliveiras e com uma vista panorâmica da cidade de Florença (está localizado no Bagno a Ripoli e o centro de Florença pode ser alcançado de carro ou de autocarro em cerca de dez minutos). É também um local de encontro, onde itá sentir-se em casa, conhecer pessoas novas e participar em eventos e atividades organizadas pela equipa do hostel (todas as noites às 20h há "Pasta Time", onde pode desfrutar de um prato de massa e de vinho tinto local por €7 - uma excelente desculpa para se sentar e socializar com os outros mochileiros). Vale a pena planear uma viagem de Bigallo para o interior de Mugello, ou para a área de Fiesole (há a possibilidade de alugar uma bicicleta no hostel).

Foto do jardim de Ostello del Bigallo

PONHA OS SEUS OLHOS EM VAL DI PESA

Para chegar à segunda etapa da rota, precisamos de prosseguir para o sul e entrar no Val di Pesa e nas áreas onde o Chianti é produzido, uma verdadeira excelência mundial na produção de vinhos italianos. Certamente haverá ocasiões para um brinde. É aconselhável fazer um ligeiro desvio para Casciano Val di Pesa para subir à Torre dell'Acqua, também conhecida como a Torre panorâmica del Chianti - tem uma vista verdadeiramente deslumbrante de 360 ° e pode tirar fotos espetaculares, especialmente ao pôr do sol.

Foto da Torre dell'Acqua por veruska.ferrara26 (Instagram)

APRECIE E EXLORE A REGIÃO DE CHIANTI

Vá mais para sul e com um pequeno desvio, pode passar pela adega clássica Antinori in Chianti, um lugar formidável onde a calma das colinas e vinhedos encontra a arquitetura moderna neste edifício de vanguarda. É um lugar que mistura com grande harmonia uma tradição que remonta ao século XIV e uma inovação que ainda hoje faz dos vinhos desta antiga família um dos mais surpreendentes da região. Esta adega foi inaugurada em 2012 e é construída inteiramente com materiais locais e com particular respeito pelo ambiente e pela paisagem toscana circundante. Ele foi projetado para receber os fãs de vinho do mundo inteiro, bem como para partilhar a paixão de quem produz vinho nesta área, sem nunca comprometer a qualidade.

Foto da Cantina Antinori in Chianti (antinori.it)

Continuando a ir ainda mais para o sul, chegará a Tavarnelle Val di Pesa, onde podeá descansar novamente no Chianti Hostel. Este local é estratégico dado que a localização é no coração da região de Chianti e há realmente um monte de excursões e atividades que podem ser facilmente alcançadas a partir daqui: colinas, campos, bosques, olivais, vinhas, moradias, castelos e aldeias antigas. O hostel tem a capacidade máxima de 82 camas e é, portanto, ideal para quem viaja em grupo ou com a família. Dispõe de um jardim super tranquilo, um restaurante e um grande estacionamento para os hóspedes.

Foto do campo chianti

TOSCANA SOB AS ESTRELAS

Agora podemos ir em direção a San Donato em Poggio, onde faça também um pequeno desvio para visitar o Observatório Multifuncional de Chianti que vale muito a pena. Este está localizado num tranquilo parque botânico e, graças ao seu telescópio super potente com um diâmetro de 80 centímetros, é um local de grande interesse para observações astronómicas. Felizmente, o Observatório não é apenas um sítio científico, pois visa ser um local de agregação social e um centro de crescimento cultural - são organizadas exposições, conferências, eventos e jantares temáticos. Nem sempre é aberto ao público, mas é possível visitá-lo nalgumas datas específicas (há um calendário atualizado em observatoriochianti.it).

Foto do Obseratório por osservatoriochianti (Facebook)

A ATMOSFERA MEDIEVAL DE CHIANTI

Ao continuar para o sul pela Estrada Provincial 76, chegará a Castellina in Chianti, onde poderá visitar a esplêndida Rocca e o Museu Arqueológico do Chianti Senese, um pequeno mas muito interessante museu (o preço inclui a opção de subir à torre e desfrutar de um vista panorâmica). Ao descer da torre, ande pela Via delle Volte, uma estrada que atravessa as muralhas que rodeiam a cidade: não deve mesmo perder este ambiente medieval! Depois de tanto esforço, pode relaxar num dos muitos restaurantes na Via Ferruccio, a rua principal da cidade: entre eles, recomendamos a Taverna Squarcialupi, tanto pelo menu como pela beleza do lugar em si (na época mais quente há um terraço com mesas que oferecem vistas deslumbrantes sobre as colinas de Chianti).

Foto tirada de Rocca di Castellina in Chianti por desireesigurta (Instagram)

UMA PARAGEM OBRIGATÓRIA EM SIENA

A próxima paragem é Siena. É inútil pensar sobre o que ver aqui, já que é uma cidade bastante conhecida e atrações como a Catedral, a Torre del Mangia e a Piazza del Campo (onde o famoso Palio acontece) certamente não precisam de apresentações. Sugerimos um canto mais escondido, mas muito sugestivo, que é o Santuário de Santa Caterina (padroeira de Itália), com o seu belo pátio cercado por um pórtico e a vizinha Chiesa del Crocifisso.

Fique no terceiro hostel que recomendamos que fique, o Siena Hostel Guidoriccio. Este hostel foi recentemente renovado com grande atenção à sustentabilidade e ao respeito ao meio ambiente. O hostel ecológico oferece aos seus hóspedes um serviço de aluguer de bicicletas e aqui encontrará as lendárias bicicletas Bianchi, que são muito leves e com uma caixa de velocidades Shimano e um navegador (custam apenas 16€ por dia, pelo que é a solução ideal para se deslocar). Além disso, serve um pequeno-almoço mediterrâneo que está incluído no preço.

Foto de Piazza del Campo em Siena

ALDEIAS ENCANTADAS POR MONTERIGGIONI EM SAN GIMIGNANO

Ao deixar Siena, vá em direção à bela vila medieval de Monteriggioni, um lugar que também é mencionado no Inferno de Dante e que parece estar suspenso no tempo. Toda a cidade é cercada por uma parede que ainda está em perfeitas condições. A poucos passos da Porta Fiorentina, está a Enoteca della Fattoria Castello, onde pode experimentar uma taça de "Cigolino", um excelente vinho tinto IGT produzido pelos vinhedos ao redor do Castelo de Monteriggioni. Não deixe de visitar a vizinha Abadia de Santos Salvatore e Cirino, no povoado de Abbadia a Isola: uma jóia de estilo românico que remonta ao século XII e ainda está em perfeitas condições.

Foto de Monteriggioni por koralmik (Instagram)

Para aqueles que têm um pouco mais de tempo, poderão fazer um desvio para o norte para Rocca di Staggia, o Castelo de Strozzavolpe e a bonita vila de Poggibonsi (com o seu Castello della Magione e a panorâmica Fortaleza de Poggio Imperiale). No entanto, nós queremos agora que continue para oeste até chegar a outra cidade cercada por muros e atravessada pela Via Francigena: estamos a falar de San Gimignano. Diz-se que no século XIV havia até 72 torres empoleiradas na cidade, uma para cada família abastada exibindo um poder económico que deveria ser mostrado a todos. Agora restam apenas 13, mas o charme da cidade permanece intacto, com os seus altos e baixos e o seu centro histórico, rico em arte e cultura.

Foto panorâmica em San Gimignano

DORMIR NUM EX-CONVENTO EM VOLTERRA

A próxima paragem é Volterra, outra cidade incrível e animada, com tantas coisas para fazer e ver: novamente, não vamos deter-nos em tudo o que pode fazer, mas a Fortaleza Medici, o Museu Etrusco, a Piazza San Giovanni com a bela Catedral e o Batistério merecem uma visita. Um passeio ao longo das muralhas medievais, com vista para as paisagens do Val di Cecina até chegar à Porta all'Arco, é uma obrigação. Depois, há a Galeria de Arte Cívica, o Ecomuseu de Alabastro e o Palácio Viti. Em suma, há muito para ver e certamente vale a pena ficar a prenoitar durante uma noite. Felizmente, pode ficar no Chiostro delle Monache: a propriedade foi criada a partir de um antigo convento do século XIII que foi completamente renovado. Tem quartos privados e dormitórios com casas de banho privadas que antes eram os quartos das freiras. Existem várias áreas comuns, incluindo o maravilhoso claustro e um grande salão do século XIV com afrescos incríveis. Tudo isso é a pouco mais de 1km do centro histórico de Volterra.

Foto do pátio interior do Chiostro delle Monache

VINHO E CULTURA NO CAMPO DE PISAN

Agora seguimos em direção ao norte, indo pela Via Volterrana e viramos à esquerda um pouco antes de Selvatelle, para ir em direção à aldeia de Casanova. Aqui encontramos a incrível adega Podere La Chiesa Wine and Art Cellar: este centro está instalado num prédio extremamente moderno que se destaca numa pequena colina e é imediatamente reconhecido pela sua fachada original (os círculos nas paredes representam as uvas num cacho). A localização é espetacular e está rodeado por vinhas verdejantes. Aqui pode provar alguns vinhos incríveis (nós apaixonámo-nos pela Opera em Rosso, um impressionante DOC Sangiovese Terre di Pisa!). A vinícola também organiza eventos artísticos e culturais e concertos (sobretudo jazz) ao longo do ano.

Foto do Podere La Chiesa por ma_lafra (Instagram)

HOMENAGEM À VESPA MÍTICA

De volta à estrada, continue para Pontedera, onde aqueles que amam veículos de duas rodas não podem perder uma visita ao Museu Piaggio, uma exposição muito interessante dedicada ao mundo da lendária Vespa. A localização é perfeita, dentro das instalações de uma antiga fábrica-oficina (um espaço de 5.000 metros quadrados) que permite reviver o património histórico de uma das empresas italianas mais queridas do mundo, reconstruindo a história da Piaggio. Foi fundada em 2000 e ao longo dos anos atraiu mais de 600.000 visitantes com uma taxa de crescimento exponencial. Cereja no topo do bolo, a entrada é gratuita.

Foto do Museu Piaggio por irenestrinati (Instagram)

UM CANTO ESCONDIDO EM DIRECÇÃO A PISA

De Pontedera, continuamos na estrada em direção a Cascina, passando por ela antes de chegar a San Benedetto, onde viramos à esquerda para ver uma jóia escondida que poucos conhecem, mas que realmente merece uma visita. Estamos a falar de San Miniato em Marcianella, uma pequena igreja românica que remonta a 970 dC e que está colocado num cenário de conto de fadas com duas fileiras altas de ciprestes. É um lugar para visitar tranquilamente, desfrutando do silêncio (para quem quiser visitar o interior, certifique-se de passar no domingo de manhã, caso contrário, estará fechado).

Foto da Igreja de San Miniato em Marcianella por quatsch03 (Instagram)

DORMIR NUMA QUINTA TOSCANA

Continue agora até Pisa, onde pode encontrar o quinto hostel deste passeio. Mesmo aqui não vamos deter-nos em grandes detalhes sobre a cidade pois é um destino muito conhecido e discutir como a Torre é bonita seria supérfluo. Em vez disso, queremos concentrar-nos no hostel, porque é uma propriedade muito especial: é chamado Il Casale Toscano Hostel e como mencionado no nome, foi construído a partir de uma antiga fazenda, posicionado num local verdadeiramente pitoresco, dentro de um parque privado e ao longo de um pequeno rio (poderá até ver algumas raposas). Mesmo ao lado do hostel, há também a pequena igreja de Madonna dell'Acqua, que remonta ao século XVII. O hostel dispõe de quartos partilhados e privados, todos grandes, claros e com o teto característico de viga cruzada, que permaneceu intacto na restauração da fazenda original.

DAS COLINAS PARA O MAR

Continuamos para o norte e depois de tanto vagar pelo campo e morros, já merecemos um pequeno desvio até ao mar, visando Viareggio e as praias de Camaiore, Marina di Pietrasanta e Forte dei Marmi. É uma área costeira muito bonita e animada, cheia de bares e excelentes restaurantes. O Museu do Carnaval é muito interessante, dentro da chamada cidadela do Carnaval (uma festa que aqui é sagrada e que todos preparam-se para ela durante o ano). A entrada é gratuita a cada segundo domingo do mês.

Foto do Carnaval de Viareggio por de __eiron (Instagram)

PASSEIO PELA VIA FRANCIGENA

Deixamos para trás o mar em direção a uma aldeia em Camaiore, onde pode passar outra noite especial, no Ostello del Pellegrino, um nome que explicitamente faz referência ao fato de que passaram por aqui viajantes à procura de um abrigo ao longo da Via Francigena. O Ostello del Pellegrino foi criado a partir da restauração da Abadia de São Pedro do século XIII e tem um total de 24 camas com uma grande área comum, uma sala de leitura, uma cozinha e uma área para eventos. A família Vigiani, que administra o hostel, tem imensas dicas sobre possíveis caminhos e trilhas para descobrir as maravilhas históricas e naturais desta área.

À DESCOBERTA DE LUCCA

Volte à estrada até chegar a Lucca, outra cidade na qual há muita coisa para falar: a Praça Oval do Anfiteatro, a Igreja de San Michele in Foro, a Ponte della Maddalena, a Basílica de San Frediano e um belo passeio panorâmico de bicicleta pelas muralhas medievais... para não falar de outras atrações e atividades para se fazer aqui.

Para aqueles que já estão com fome, há a Panineria vinícola Da Ciacco na central Piazza Napoleon que oferece excelentes sanduíches e "crostoni" recheados com produtos locais (para experimentar o único com salsicha e queijo pecorino) com uma boa selecção de vinhos. Tudo com uma boa relação qualidade / preço.

Foto da Piazza dell'Anfiteatro em Lucca

Depois de um dia em Lucca, pode dormir no La Salana Hostel, localizado nas proximidades de Capannori (apenas a 5km de distância). O nome é uma homenagem ao dono anterior da propriedade que tinha o mesmo apelido e era bem conhecido no bairro: uma senhora que muitos se lembram com nostalgia devido ao seu grande espírito de hospitalidade.

Dispõe de um bar/restaurante (com um menu à la carte barato e cheio de pratos típicos) e um enorme jardim para relaxar. Estando perto da Via Francigena, há muitas oportunidades para belos passeios. Não perca o chamado "Carvalho das Bruxas" na aldeia vizinha de Gragnano, uma árvore secular de cerca de 600 anos, com mais de 15 metros de altura. Diz-se que o crescimento ascendente do centro da árvore (que tem uma extensão de 40 metros) e a forma estranha dos galhos são devidos à presença de bruxas que se reuniam ali para fazer os seus rituais. A outra lenda do carvalho está relacionada com os eventos do fantoche mais famoso do mundo: Pinóquio. Segundo a lenda, ele foi enforcado nesses galhos.

Foto do "Carvalho das Bruxas" por elenagiusti (Instagram)

RUMO À PISTOIA, ENTRE CASTELOS E TÚNEIS SUBTERRÂNEOS

O circuito está quase a acabar mas ainda há algumas pérolas por explorar no caminho. Pouco antes de Serravalle Pistoiese vale a pena visitar o Rocca di Castruccio onde é possível admirar as ruínas da antiga fortificação do século XVI. É um complexo de 3 torres e pode subir a uma delas ao longo de uma escada de metal, apreciando uma ampla vista panorâmica da vila e da paisagem circundante. Se for no verão, tente não perder o festival SerravalleRock, um bom festival dedicado a bandas emergentes do indie rock.

Foto do Rocca di Castruccio por pietrarellidavid (Instagram)

Continuamos até Pistoia, uma linda cidade onde há muito para ver. Visite a Piazza del Duomo com a torre do sino e o belo Batistério, ou a deslumbrante Catedral de San Zeno. Não perca o Spedale del Ceppo, o antigo hospital da cidade. A partir daqui também há visitas guiadas ao Pistoia Underground, um passeio muito interessante que reconstrói a história medieval destes túneis subterrâneos.

Foto de Pistoia Underground por cristian_ruggeri (Instagram)

ARTE CONTEMPORÂNEA NO PRATO

Antes de chegar a Florença, recomendamos uma última paragem no Prato, onde pode surpreender-se com a arquitetura moderna do Centro de Arte Contemporânea Luigi Pecci: é um grande complexo com 3.000 metros quadrados de salas de exposições e uma coleção de mais de mil obras que possui alguns dos maiores nomes da arte contemporânea, como Andy Warhol, Vito Acconci, LeWitt Sol, Anish Kapoor, Mario Merz, Jannis Kounellis, Bruno Munari e Jan Fabre. Há também uma biblioteca especializada em artes visuais com 60.000 volumes, um auditório de cinema, um teatro ao ar livre e um restaurante.

Foto do Centro Pecci do Instagram por marco_iasiello_ph_ (Instagram)

A ÚLTIMA PARAGEM: FLORENÇA

O círculo fecha e o itinerário pela Toscana termina justamente na capital regional. Vale a pena parar em Florença pelo menos por 2-3 noites e, felizmente, há muitos hostels agradáveis ​​e limpos na cidade. Nós recomendamos o Hostel Santa Monaca porque, assim como as outras propriedades já mencionadas, este também tem uma história particular: o edifício já foi um convento (que remonta ao século XV) e tornou-se numa pousada de juventude após uma inundação dramática em Florença, em novembro de 1966. Este edíficio está localizado no distrito de San Frediano, e tem um total de 120 camas. No piso térreo há uma bela cozinha, uma sala de jantar com cem lugares, uma sala de conferências e um auditório (obtido dos quartos da antiga Igreja de Santa Monaca).

RECURSOS ÚTEIS: A ROTA PELA TOSCANA NO MAPA

Publicamos o mapa completo do itinerário com todas as paragens que fizemos (incluindo os hostels).

Últimas posts no blog

12 Hostels com os melhores Rooftops de sempre

12 Hostels com os melhores Rooftops de sempre

lê mais

Barcelona, ​​Ibiza e Sète: Bem-vindo ao World Club Dome Cruise Edition 2019

Barcelona, ​​Ibiza e Sète: Bem-vindo ao World Club Dome Cruise Edition 2019

Venha connosco para uma das viagens mais versáteis da sua vida: Barcelona, ​​Ibiza e Sète. Um cruzeiro com os melhores DJs do mundo: o World Club Dome Cruise Edition 2019. lê mais

Uma viagem pela Andaluzia: Málaga, Sevilha, Córdoba e Granada

Uma viagem pela Andaluzia: Málaga, Sevilha, Córdoba e Granada

lê mais

Descubra qual o festival de música em Portugal perfeito para você

Descubra qual o festival de música em Portugal perfeito para você

É verão na Europa e você ainda não sabe onde vais passar os próximos meses? Gostariamos de lhe sugerir alguns festivais em Portugal! lê mais

Diário de viagens em Portugal: como aproveitar ao máximo os destinos de verão de 2019

Diário de viagens em Portugal: como aproveitar ao máximo os destinos de verão de 2019

Portugal é o rei dos destinos de Verão! Encontre neste artigo todos os conselhos e dicas em exclusivo do diário de viagem da Monelle Chiti a Portugal! lê mais

PASSATEMPO: Hostelsclub + Ostello Bello = 'Belli Together'

PASSATEMPO: Hostelsclub + Ostello Bello = 'Belli Together'

PASSATEMPO para celebrar o mês do Orgulho Gay (Pride). lê mais

Ver mais artigos >