Um guia da Patagónia: 9 aventuras para experimentar uma vez na vida

21/05/2019

Uma viagem de 15 dias em torno da Patagónia para backpackers, andando pelos lugares mais bonitos do sul da Argentina, com muitas aventuras e paisagens magníficas.

O Monte Oliva na Rota Nacional 3 - créditos fotográficos @migue_nunez_

Algumas pessoas encantam-se com as suas paisagens incomparáveis ​​que parecem estar presas no tempo, outras chamam a região de 'Terra Média', da saga do Senhor dos Anéis, e outras conseguem ver nas suas paisagens os cenários de pano de fundo de muitos filmes célebres, com atores famosos como Brad Pitt e Leonardo di Caprio.

Seja qual for a imagem que tem da Patagónia, é inegável que ela é uma terra encantadora, um dos poucos lugares remanescentes no mundo que ainda está em contato com a natureza mais pura. A Patagónia é fascinante devido às suas paisagens rústicas, às florestas verdes, às cabanas de madeira, aos lagos turquesa e às suas rodovias desertas e infinitas, mas também pelas suas aldeias montanhosas e glaciares… cada lugar é único e é certamente um bom spot para tirar fotos lindíssimas.

Neste artigo, vai embarcar numa viagem pelos melhores lugares da Patagónia, não esquecendo da parte onde prenoitar, já que um bom descanso é fundamental para recarregar as baterias!

Ângulos encantadores da Patagónia no outono: créditos fotográficos @migue_nunez_

1. Suba o vulcão Batea Mahuida

A nossa primeira aventura começa na Villa Pehuenia Moquehue, na província de Neuquén. É uma aldeia montanhosa e imersa numa paisagem incrivelmente natural, entre colinas e lagos com praias de areia branca. Está a 11 km do Chile e a cerca de 3 horas da cidade de Neuquén.

No topo do vulcão: créditos fotográficos @machairanzo

Esta cidade de origens “mapuche” encanta os seus hóspedes com múltiplas atividades que se podem fazer e com muitos hectares de terra para explorar. É possível andar pelos trilhos que têm vários níveis de dificuldades, pescar o peixe indígena dos fluxos e dos lagos ou, se tiver coragem, andar de barco insuflável pelas águas agitadas.

Mas, se está à procura de uma aventura realmente com muita adrenalina, a principal atração é sem dúvida o vulcão Batea Mahuida, parte da imensa Cordilheira dos Andes, na fronteira entre a Argentina e o Chile. O vulcão está extinto, e uma recompensa especial aguarda aqueles que se atrevem a subir os seus 1948 metros de altura, porque na parte mais alta há uma cratera que esconde uma bela lagoa com águas cristalinas. Ao mesmo tempo, pode desfrutar de uma vista panorâmica de 360 ​​graus que permite ver todo o vale da região. Não se esqueça de carregar a bateria do seu telemóvel para tirar boas fotos!

No cimo do vulcão: créditos fotográficos @somosargentinamadein

2. A “Ruta dos 7 Lagos” (Rota dos Sete Lagos)

Como o nome sugere, a nossa segunda sugestão conta com uma tour por sete belos lagos que se encontram na Región de los Lagos. A viagem faz parte da Estrada Nacional 40, uma das principais rodovias para quem quer fazer qualquer tipo de rota na Patagónia.

O Lago Correntoso: créditos fotográficos @laluwolt

O trecho de 110 km começa em San Martin de los Andes e termina em Villa La Angostura. Mesmo que seja possível fazer este percurso em pouco tempo, aconselhamos que faça todos intervalos necessários para que admire as paisagens de cortar a respiração.

Os lagos que dão o nome à estrada são o Nahuel Huapi, o Correntoso, o Espejo, o Escondido, o Falkner, o Villarino e o Machónico. Ao seguir a estrada que liga os sete lagos, irá cruzar-se com dois parques nacionais: o Lanín e o Nahuel Huapi, dois tesouros Patagónicos que valem a pena visitar.

“El Balcón de la Bahía”: créditos fotográficos @laluwolt

A pesca é grande na Patagónia, e se é um hobby que gosta de fazer, então o Lago Falkner é certamente o sítio ideal. Um conselho: se for até à foz do rio Villarino ou ao riacho Filuco, a probabilidade de pescar é maior.

Se preferir apenas apreciar as vistas, siga diretamente para Los Huillines, perto do Lago Espejo. Se quiser ao invés uma experiência mais "perigosa", visite o Cascate Ñivinco (perto do Lago Escondido), deixando-se encharcar pelas suas poderosas correntes.

3. Um passeio emocionante de bicicleta pelo Parque Nacional de Los Arrayanes

Depois de muitas aventuras chegamos à Villa La Angostura, ao sul da província de Neuquén, uma aldeia na cordilheira, com construções de pedra e madeira, imerso no Parque Nacional Nahuel Huapi. É uma área protegida da Patagónia, onde pode desfrutar de paisagens fantásticas e de muitas maravilhas naturais.

Natureza na Villa La Angostura: créditos fotográficos @visualgramms

Se está à procura de um pouco de adrenalina, aproveite a possibilidade de explorar o Parque Nacional de Arrayanes, um lugar único no mundo com uma floresta cheia de murta chilena: os Mapuches usaram as bagas desta planta, que podem ser alcançadas vinte metros de altura, para preparar remédios poderosos.

Se vier aqui no inverno (de junho a agosto), pode esquiar no Cerro Bayo, um centro desportivo composto por 25 pistas e 16 cabines de teleférico. Se, em vez disso, vier na época mais quente (de novembro a março), aconselhamos fortemente que alugue uma bicicleta e ande sem parar pelos arbustos e pelas poças.

A floresta frondosa de Villa La Angostura: créditos fotográficos @visualgramms

Se depois de todas estas aventuras precisar de uma pausa, esta é sua oportunidade! Fique no hostel La Angostura, um lugar confortável onde pode encontrar viajantes de todas as partes do globo.

4. Conquistando o “Cerro Tronador”

Esta aventura começa na famosa cidade de Bariloche, um dos destinos mais visitados pelos turistas europeus e americanos que procuram paisagens espetaculares. Muitos acham similar às vilas suíças clássicas devido ao estilo urbano do lugar. Aqui pode experimentar um pouco de tudo!

O Cerro Tronador: créditos fotográficos @visualgramms

Os que procuram prazer podem visitar o lago espumante Nahuel Huapi que rodeia a cidade; os food lovers podem experimentar os deliciosos mini-chocolates encontrados em todas as lojas do centro histórico; enquanto que os viajantes mais aventureiros devem fazer ir ao resort de esqui de Cerro Catedral para algumas manobras alucinantes.

A excursão ao Cerro Tronador é imperdível, passando por lagoas, praias e pontos panorâmicos. Esta montanha é um vulcão inativo cuja ponta de 3478 metros marca a fronteira entre a Argentina e o Chile.

O Cerro Tronador: créditos fotográficos @elmundodeados

Pablo e Cecilia, dois blogueiros argentinos, experimentaram ir até lá em primeira mão e disseram-nos que “O Cerro Tronador e o glaciar Ventisquero Negro formam uma paisagem única. Todo o caminho é cheio de vistas panorâmicas e ângulos maravilhosos: lagos, florestas, um rio caudaloso e a Isla Corazón (literalmente a ilha do Coração). Toda esta experiência é inesquecível. Recomendamos a todos e é certamente a melhor excursão na área circundante! O melhor momento para ir é no outono, quando a floresta é uma palete de cores. Recomendamos que o passeio comece muito cedo e que se economize tempo para visitar as belas cascatas de Los Alerces.”

Nesta fase, recomendamos o acolhedor Hostel Achalay cuja simplicidade e ambiente acolhedor farão com que se senta em casa. Existe uma cozinha comum, onde pode preparar uma refeição quente, e é possível optar por dormir num dormitório ou num quarto privado.

5. Perca-se no "Campo de Tulipas"

Esquel é uma cidade na província de Chubut, no noroeste do país, fundada por imigrantes galeses em 1865. É o local ideal para se ganhar energia e comer bem num dos muitos excelentes restaurantes.

Um maravilhoso campo de tulipas: photo credits @franciscobertotti

Uma das atividades turísticas favoritas fica no Parque Nacional de Los Alerces. Certifique-se de que não perde "El Abuelo" (o avô, como dizem os habitantes afetuosamente), uma árvore de 2600 anos, uma atração muito interessante para admirar. Observe os condores a voar sob a floresta ou organize um piquenique.

Recomendamos qu vá até ao campo de cultivo de tulipas que exibe cores incríveis e parece ter saído diretamente de uma pintura de Van Gogh. O lugar é chamado Trevelin (26 km de Esquel, 26 minutos de carro da estrada nacional 259).

Sugestão: se vem no mês de fevereiro (em plena temporada de verão) e não é vegetariano, deve visitar a pequena cidade de Cholila, onde acontece o Festival Nacional do Asado (o típico churrasco argentino), um evento de três dias durante o qual grelham 10.000 kg de carne!

La Casa Pueblo pode ser um excelente lugar para aqueles que procuram bons preços, conforto, móveis rústicos de madeira e um ambiente acolhedor e familiar capaz de satisfazer todas as suas necessidades.

6. Navegando com as baleias do sul

Da pitoresca vila acima chegamos a Port Madryn (6 horas de carro a oeste, na costa da Patagónia), a cidade mais importante da província de Chubut. O melhor lugar em toda a América do Sul para experimentar encontros próximos com a vida marinha. De junho a dezembro é a temporada das baleias e Madryn é o lugar certo para localizá-las.

what to do in patagonia: sailing with the whales

Foto de uma viagem de barco: créditos fotográficos @rutadelmate

Este canto patagónico é o melhor do mundo para ver as baleias do sul, a uma curta distância da costa. As baleias chegam aqui por volta de maio e ficam na área até dezembro.

Juan, Flor e o seu filho Benjamín são uma família argentina que viajam pelo mundo. Eles contam a sua experiência neste local:

“Nós sentimo-nos como crianças. Foi assim que nos sentimos quando fomos ver as baleias ao vivo pela primeira vez, por ser uma experiência que surpreende. A baleia franca austral chega todos os anos às águas calmas do Golf Nuevo, em cujas margens se encontram Port Madryn, Port Pirámides e a reserva ecológica da Península Valdés. Existem diferentes maneiras de vê-las, mas obviamente a melhor maneira é subir a bordo de um barco para admirá-las de perto e no seu habitat natural. Elas são mamíferos muito curiosos e passam frequentemente pelos barcos, parecendo que quase toca nelas. "

A baleia franca austral de Port Pirámides: créditos fotográficos @ trevi2009

“O panorama de 360 ​​graus que pode apreciar quando está no mar dá-lhe a possibilidade de ver baleias que saem da água ou mostram as suas barbatanas na superfície. Se não quiser estar tão perto das baleias e no mar, então existe outra alternativa: vá até à praia de El Doradillo, a cerca de 15 km de Port Madryn, onde há excelentes condições de observação, visto que a profundidade da água é ideal para os bebés brincarem com as suas mães. Também na mesma cidade de Port Madryn podem ocorrer avistamentos, mas precisa de ser paciente e deixar a natureza surpreendê-lo.”

Uma baleia de Port Pirámides: créditos fotográficos @ trevi2009

Reserve uma estadia no El Gualicho, uma aocmodação com uma atmosfera informal e amigável, onde pode conhecer muitos outros mochileiros e viajantes. Tem conexão wi-fi e um bom pequeno-almoço para começar bem a manhã. A localização é excelente, bem no centro e muito fácil de alcançar.

7. Trekking no Monte Fitz Roy

Agora terminamos em El Chaltén, na província de Santa Cruz. É uma pequena cidade no sopé da Torre e Fitz Roy Mounts, bem no coração do National Glacier Park. O nome deste sítio, legado da cidade natal de Tehuelche, significa “montanhas que fumam”, pois as pontas estão sempre cobertas por nuvens.

A paisagem espetacular do Monte Fitz Roy: créditos fotográficos @pabloestoyllegando

Curiosidade: Em 1985, Argentina e Chile envolveram-se numa disputa que quase desencadeou numa guerra para decidir a que país o território de El Chaltén pertencia. No final, os direitos foram concedidos ao povo argentino. Em outubro de 2014, a área em questão foi classificada em segundo lugar nas “melhores cidades do mundo para se visitar”, compilada pela Lonely Planet.

O Monte Fitz Roy é a atração especial desta aventura de trekking, com caminhos bem marcados, pontos de observação e lagos extraordinários, como o riacho Del Salto e as lagoas de Madre e Hija. Outra parte a não perder é fazer uma visita à brilhante Lagoa dos Três que concede panoramas espetaculares no Monte Fitz Roy. A caminhada deve ser feita no verão, quando o clima é ameno (de dezembro a março) e o céu é cristalino.

Visit Patagonia's Lake of Three

O Lago dos Três: photo credits @pabloestoyllegando

8. Glaciar Perito Moreno

Se viajar de carro ou de autocarro, o percurso pode ser pesado porque inclui muitas horas de viagem. O plano ideal é descansar bem antes de embarcar neste desafio, que geralmente é tão cansativo quanto excitante. Se procura um hotel espaçoso e confortável com um ambiente familiar, recomendamos a Hosteria Austral; se, em vez disso, a paisagem é mais importante, então pode ir para Hosteria Meulen; Sepreferir ficar no meio do deserto, então pode ficar nas cabanas de Solares del Sur.

Visit Patagonia's National Glacier Park

Selfie no National Glacier Park: créditos fotográficos @ mj.leonardelli

Chegámos a El Calafate, uma cidade que aparece bem em frente ao lago argentino na província de Santa Cruz. Os turistas vêm aqui para ver o glaciar Perito Moreno, dentro do Parque Nacional Glacier. Na cidade, recomendamos que visite o Museu do Gelo Patagónico, um centro científico que estuda os glaciares, e que faça uma viagem subterrânea até ao Glacio Bar, uma experiência única em si, já que é completamente feitode gelo!

Andando em Perito Moreno: créditos fotográficos @ mj.leonardelli

Detalhes: o passeio está disponível de outubro a abril e dura cerca de 10 horas no total, mas o tempo real gasto em Perito Moreno é de cerca de 3h30. O nível de dificuldade é exigente e requer um nível mínimo de treino e experiência.

É importante saber que aqui o clima é seco e muito, muito frio. No verão (de dezembro a março), a temperatura é de cerca de 15 graus. Os dias são muito mais longos e a vegetação parece mais viva com cores mais brilhantes.

O incrível glaciar Perito Moreno: photo credits @ mj.leonardelli

A taxa de entrada para Perito Moreno e os outros locais turísticos do Parque Nacional dos Glaciares Argentinos varia dependendo do visitante. Há tarifas concessionais para quem mora na província ou para turistas argentinos, além de descontos para bebés, estudantes, idosos, etc.

9. Explorando o "fim do mundo"

Alguns chamam esta cidade de "o fim do mundo”, outros de "o mais meridional”, e alguns simplesmente referem-se com o seu lindo lema: "O fim do mundo, o começo de tudo”. O verdadeiro nome desta cidade especial é Ushuaia, a capital da província da Terra do Fogo, no extremo sul da Argentina.

A pequena cidade de Ushuaia: créditos fotográficos @migue_nunez_

Somente aqueles que estiveram aqui é que são capazes de descrever o sentimento: "Ushuaia é sem dúvida uma das cidades que merece ser vista em todas as estações do ano. Cada estação tem a sua própria cor e a sua própria atmosfera particular. O Parque Nacional da Terra do Fogo tem excelentes caminhos para percorrer no verão, e outros diferentes como resultado da neve no inverno ”, como afirmam Marcelo, Yamila e Sofia, uma família argentina que não parou de viajar por oito anos.

"Sem dúvida que um must see é a lagoa de Esmeralda, onde pode esperar duas horas de trekking entre paisagens maravilhosas, até que atinge um quadro de montanhas e um lago plácido de água brilhantemente verde. ”

A Lagoa de Esmeralda: créditos da foto @elmundoanuestrospies_

Se clicar no mapa em baixo pode ter mais ou menos uma ideia da rota e da distância que deve ser percorrida:

What to do and where to go in your backpacker road trip in Patagonia

Últimas posts no blog

9 sítios alternativos para descobrir em Florença

9 sítios alternativos para descobrir em Florença

Uma comparação entre os lugares clássicos e incomuns de Florença e entre os grandes génios artísticos do passado com os novos artistas contemporâneos. lê mais

Como fazeres amigos nos hostels

Como fazeres amigos nos hostels

Viajar sozinho é incrível, mas às vezes precisamos de ter alguém ao nosso lado. É por isso que oferecemos algumas dicas sobre como fazeres amigos enquanto viajas. lê mais

9 Apps que deve ter no seu telemóvel

9 Apps que deve ter no seu telemóvel

Todos enfrentamos contratempos ao viajar, e é por isso que hoje existem muitas apps que podem ajudá-lo nas suas viagens, tornando-as mais fáceis e sem stresses! Do que está à espera? Leia e faça o download! lê mais

Top 4 dos melhores hostels para o Oktoberfest

Top 4 dos melhores hostels para o Oktoberfest

Se queres ficar num dos alojamentos mais cool de Munique, despacha-te! Camas e quartos vão esgotar num piscar de olhos lê mais

O que fazer em San Sebastián

O que fazer em San Sebastián

San Sebastián tem tudo: desde praias, montanhas, gastronomia e eventos lê mais

10 dicas para viajar como um local

10 dicas para viajar como um local

Evite os sítios super turísticos e siga os nossos conselhos... lê mais

Ver mais artigos >